75 3023-9999

Implantes e Enxertos (Reconstruções Ósseas dos Maxilares)

21/02/2017

Os implantes dentários são raízes metálicas artificiais fabricadas com o metal Titânio. Têm a forma aproximada de uma raiz dentária, sendo colocados dentro dos ossos maxilares. Após algumas semanas, o osso da pessoa se une ao implante, formando uma estrutura única, sendo por isto chamados IMPLANTES OSTEOINTEGRADOS. Após esta integração, a nova raiz já tem condições de suportar um dente (uma coroa artificial) ou servir de base para uma ponte fixa.

Para os pacientes que possuem boa quantidade óssea, atualmente já é possível a realização de implante dentário com carga imediata. Nestes casos o implante é colocado, e a prótese provisória pode ser instalada imediatamente. Nos casos onde o osso está extremamente atrofiado, em pouquíssima quantidade, lança-se mão dos enxertos ósseos. Há diversos tipos de enxertos. São chamados autológeno quando o doador é a própria pessoa (podem ser removidos dos maxilares, quadril, calota craniana, etc). Enxertos heterógeno são removidos de doadores humanos (banco de ossos), e os enxertos xenógenos são removidos de animais, normalmente bovinos. Ainda existem os materiais aloplásticos (sintéticos). A indicação por um ou outro tipo depende do caso e da opção do paciente. Estamos preparados para a realização de quaisquer tipos de reconstruções com enxertos ósseos.

Hoje em dia os implantes dentários de titânio são a melhor opção para a reposição de dentes, seja em casos com boa quantidade óssea, ou em casos com falta de osso. Estas modernas técnicas podem devolver o sorriso, a mastigação forte e segura e a autoestima do paciente.

As reconstrução ósseas severas podem ser feitas na clinica Niro Health Center sob anestesia geral ou sedação venosa aos cuidados do medico anestesiologista.

Mentoplastia (Queixo)

21/02/2017

Muitas pessoas que apresentam o queixo pouco projetado, pequeno, são insatisfeitas com sua aparência facial.

A mentoplastia é uma cirurgia que corrige as alterações de contorno do mento, ou seja, do queixo.

Geralmente é feita no intuito de aumentar o mesmo, porém sua redução pode ser feita em casos de pessoas com mento de projeção exagerada.

O melhor candidato para a mentoplastia é aquele que apresenta boa oclusão dentária. Aqueles com distúrbio de oclusão, a cirurgia na mandíbula e ortodontia, associados à mentoplastia, podem ser indicadas.

Antes da cirurgia, o cirurgião e paciente discutem o que pode ser esperado de uma forma realista, assim como possíveis riscos e complicações. Um relatório completo é feita no dia da primeira consulta. O tipo de anestesia e o procedimento são também discutidos. Algumas instruções pré-operatórias incluem a descontinuação do uso de certos medicamentos, assim como parar de fumar. Um xampu antisséptico é usado na véspera. Fotografias são tiradas para planejamento cirúrgico.

O procedimento pode ser realizado sob anestesia geral ou local.

Há basicamente dois tipos de mentoplastia de aumento; um envolve o avanço do próprio osso do queixo, e o outro o uso de um implante. No primeiro caso, uma incisão é feita dentro da boca e a parte inferior do osso é avançada, de acordo com a necessidade do caso. A incisão é fechada com alguns pontos e um curativo externo é aplicado. No segundo caso, uma incisão é feita dentro da boca ou externamente, abaixo do mento, e o implante (de tamanho adequado) é introduzido. A incisão é fechada com alguns pontos e um curativo externo é aplicado.

A alta é dada no mesmo dia ou no seguinte. Dor relacionada com esta cirurgia é mínima e quando existente controlada com analgésicos locais. Algum edema (inchaço) local pode ocorrer e que desaparece com o passar dos dias. Manter a cabeça discretamente elevada quando deitado ajuda a diminuir o edema. Compressas geladas locais também são recomendadas.

Pode ocorrer certa dificuldade para mastigar e escovar os dentes na primeira e eventualmente segunda semana e uma diminuição da sensibilidade local.

Cirurgia da ATM

21/02/2017

As dores oro faciais encontram-se entre as patologias mais frequentes na clínica odontológica estando, em grande parte , relacionadas aos problemas da Articulação Temporo Mandibular - ATM.

A Disfunção da ATM é o funcionamento anormal da articulação temporo-mandibular, ligamentos, músculos da mastigação, ossos maxilar-mandíbula, dentes e estruturas de suporte dentário.

Quando existe a disfunção, o paciente apresenta sintomas, como dor de cabeça, dor de ouvido e/ou zumbidos, dor ou cansaço dos músculos da mastigação, ruídos articulares (estalos ou crepitação) e dificuldade para abrir a boca.

Em sua grande maioria as DTMs são tratadas clinicamente, com utilização de aparelhos intra orais, mudança de alguns hábitos e fisioterapia.

Com procedimentos minimamente invasivos, realizados com auxilio de video artroscopia, limpeza e medicação das articulações as dores podem ser reduzidas e, muitas vezes, totalmente eliminadas.

As cirurgias diretas na articulação ( técnica aberta ) se fazem necessárias para que a fisiologia articular e a função sejam reestabelecidas, eliminando a dor. Existem algumas situações que as cirurgias estão realmente indicadas, por exemplo: Fraturas cominutivas do côndilo da ATM, que são aquelas em que os ossos se quebram em vários fragmentos menores; e nos casos de Anquilose, que é quando os ossos da articulação se “soldam” uns nos outros gerando a perda do movimento , nos casos de grandes deformidades na face, principalmente se ocorrer durante o crescimento e também nos casos em que os discos articulares ( menisco da articulação temporo mandibular ) encontra-se deslocado levando a dor articular ou travamento da boca.

O cirurgião Bucomaxilofacial , é o profissional indicado para as cirurgias, video artroscopias, artrocenteses de ATM e discopexia da ATM, buscando a resolução dessa debilitante condição.